Metalúrgicos aprovam intensificar mobilização pela Campanha Salarial

Os Metalúrgicos de São Carlos e Ibaté aprovaram em assembleia realizada no domingo (10/07), no Clube de Campo, a pauta apresentada pelo Sindicato, para intensificar a luta pela Campanha Salarial 2022.


A proposta aprovada inclui pautar as grandes empresas para forçar os patrões nas negociações junto as médias e pequenas. Os trabalhadores buscam: Reposição da inflação e aumento real; Reajuste no ticket alimentação; Manutenção das Cláusulas Sociais; Seguro de Vida do Sindicato; Garantia de Emprego e Saúde e Segurança dos trabalhadores (sanitárias e de higiene); Discussão de investimentos na empresa Planta São Carlos; Discussão nos Contratos por Tempo Determinado; Discussão de esporte e lazer aos Trabalhadores; Quota solidaria dos acordos de data-base e PLR; entre outros.


De acordo com o Sindicato, esta Campanha Salarial tem tudo para ser uma das mais difíceis, comparada aos últimos anos, devido ao cenário. “ Estamos com dificuldades em discutir a Convenção Coletiva, e diversos fatores contribuem para isso, ano eleitoral, Copa do Mundo e a Guerra”, ressalta Vanderlei.


A vice-presidenta do Sindicato dos Metalúrgicos de São Carlos e Ibaté e Diretora da Mulher FEM-CUT/SP, Ceres Lucena, ressalta. “ Sobre a Convenção Coletiva, até o momento foi realizada uma rodada de negociação entre FEM-CUT/SP (Federação dos Sindicatos de Metalúrgicos da CUT/SP) e bancada patronal. O Grupo apresentou proposta posicionando chegar próximo a inflação e dividir o reajuste. Essa é uma proposta que não dialoga com as necessidades dos trabalhadores”, explica Ceres.


De acordo com divulgação do IBGE, na última quinta-feira (08/07), o acumulado do INPC, índice que mede a campanha, fechou de set/21-jun/22, em 9,82%. Essa redução preocupa o Sindicato. “ O governo já está freando a inflação, para diminuir o nosso salário. O custo de vida fica cada vez mais caro, os trabalhadores e as trabalhadoras estão com o poder de compra desvalorizado, por isso, precisamos cobrar um reajuste coerente com essa situação. Vamos intensificar a mobilização em toda a base, pois somente unidos chegaremos ao final de uma data-base com avanços e manutenção de direitos ", diz Vanderlei.


Já o Secretário Geral do Sindicato dos Metalúrgicos de São Carlos e Ibaté, Waldemar Muniz, declara que conforme decidido em assembleia, o Sindicato irá pautar as empresas, para forçar resultado de negociação, inclusive nas empresas que pertencem ao Grupo 10. “ O Grupo 10 não fecha Convenção Coletiva há vários anos, no ano passado negociamos em algumas empresas com acordos individuais, por isso vamos encaminhar a pauta do Sindicato para os patrões. Desta forma, enquanto não sai a Convenção, o Sindicato tenta negociar, esperando os patrões acatarem a pauta. Reafirmamos disposição de luta dos trabalhadores pela campanha salarial 2022”, declara Waldemar.


Durante a assembleia a Direção do Sindicato abordou diversos problemas que vem assolando a vida dos trabalhadores, pós reforma trabalhista, tais como: falta de política pública e política industrial; aumento do trabalho informal; inflação alta; falta saúde de qualidade; falta educação de qualidade; aumento do desemprego, entre outros fatores.


A data-base da categoria é 1º de setembro.