Metalúrgicos injetam R$ 17,7 milhões na economia

O pagamento da Participação nos Lucros e Resultados (PLR) dos Metalúrgicos de São Carlos e Ibaté, injetaram na economia cerca de R$ 17,7 milhões, de julho/21 a janeiro/22.


Em meio a pandemia, o Sindicato reafirma que com responsabilidade e forte atuação, a categoria conquistou bons resultados nas negociações, com mobilização dos trabalhadores.


O Secretário Geral do Sindicato dos Metalúrgicos de São Carlos e Ibaté, Waldemar Muniz, ressalta o trabalho do Sindicato nas negociações. “Atuamos para representar o trabalhador, e mesmo com todas as limitações por conta da pandemia, o Sindicato não parou de trabalhar um dia sequer, realizamos diversas assembleias on-line e intensificamos as tratativas para fechar os acordos nas pequenas, médias e grandes empresas. Não há conquista sem luta, e não há avanços sem organização”, disse Waldemar.


De acordo com o Sindicato, os maiores montantes da PLR negociada vêm dos trabalhadores na Volkswagen, Tecumseh e Electrolux. Nas empresas em que não houve avanços, porém, a Direção do Sindicato seguirá na luta para mudar essa realidade, mas observa que a organização dos trabalhadores é essencial para garantir uma PLR justa para todos.


Segundo o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Carlos e Ibaté, Vanderlei Strano, a organização dos metalúrgicos, traz reflexos positivos para toda a sociedade. “Quanto mais renda no bolso das pessoas, maior o consumo, a produção e a consequente geração de empregos. Essa é mais uma conquista dos Metalúrgicos de São Carlos e Ibaté, que mesmo diante de todo cenário adverso, não deixou de reivindicar seus direitos”, afirma Vanderlei.


A primeira parte da PLR foi paga no 1º semestre de 2021, na oportunidade injetou cerca de R$ 18 milhões na economia.


Atualmente os Metalúrgicos de São Carlos e Ibaté correspondem a cerca de 10 mil trabalhadores na base.