O evento “Híbrido Etanol: O Motor do Futuro” cumpriu o primeiro ciclo de debates

Com o sucesso do primeiro ciclo de debates “Hibrido Etanol: O Motor do Futuro”, que aconteceu em quatro edições no estado de São Paulo, passando pelas cidades de Araraquara, Taubaté, São José dos Campos e uma edição transmitida ao vivo de São Carlos pelo site motordofuturo.com.br, o evento ganha notoriedade e parte para um patamar a nível nacional.


Organizado pela Federação dos Metalúrgicos da CUT no Estado de São Paulo (FEM-CUT/SP), União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica), Centro Multidisciplinar de Pesquisa em Combustíveis, Biocombustíveis, Petróleo e Derivados (CEMPEQC), Centro de Eventos de Araraquara (CEAR) e sindicatos filiados a FEM-CUT/SP, o evento caminha para um novo horizonte, e com o apadrinhamento da Confederação Nacional dos Metalúrgicos da CUT (CNM/CUT), outros estados poderão receber o evento e contribuir na construção de uma política nacional.


Dirigentes do Sindicato dos Metalúrgicos de São Carlos e Ibaté participaram dos debates.


O presidente do Sindicato dos Metalúrgicos, Vanderlei Strano, destacou a importância de reunir todos os setores envolvidos e interessados no desenvolvimento da nova tecnologia. “ Sabemos a importância em ter todos os setores aqui neste debate, pois para desenvolver um modelo nacional, precisamos de incentivos, de tecnologias, pesquisas, e o principal política industrial”, ressaltou Vanderlei.


Para o presidente da FEM-CUT/SP, Erick Silva, a proposta do motor do futuro “Híbrido Etanol” ganhou grande força no estado e agora precisa ter visibilidade em todo o país. “Encerramos um primeiro ciclo e acho que demos uma contribuição importante neste debate com todas as pessoas que puderam participar desta discussão tão importante para indústria nacional, com desenvolvimento para o campo e cidade. Sabemos que tudo isso contribui para o futuro que queremos e agora o debate será ampliado com a CNM/CUT”, ressaltou Erick.


O presidente interino da CNM/CUT, Loricardo de Oliveira, afirmou que o debate sobre o motor Híbrido Etanol acontecerá em todo o país e as metalúrgicas e metalúrgicos vão debater o modelo como política pública industrial para salvar empregos, as indústrias e em defesa de um desenvolvimento sustentável. “A mobilização apenas começou”, disse Loricardo, ao deixar o Parque Tecnológico de São José dos Campos, interior de São Paulo, depois de participar da quarta edição do evento “Híbrido Etanol: o Motor do Futuro”.



O EVENTO

O evento “Híbrido Etanol: o Motor do Futuro” propõe debater uma política pública soberana que contemple os empregos, subsídios, linhas de crédito, tributação favorável a indústria nacional, investimentos em educação e formação profissional e que seja a mola propulsora e articuladora de um programa nacional que possibilite o protagonismo do etanol no que pode e esperamos que se torne o Novo Proálcool, com a experiência que temos acumulada em todo esse período.


O Brasil há décadas utiliza o Etanol, combustível limpo que é fonte de energia sustentável para o mundo. O etanol de cana-de-açúcar é considerado o combustível alternativo mais bem sucedido até o momento, entretanto, a indústria automobilística global passa por uma de suas maiores reinvenções e caminha para um futuro de eletrificação.


A eletrificação é uma tendência, contudo o modelo elétrico a bateria tem se mostrado pouco adequado à realidade brasileira, tampouco é necessário às nossas condições e a de outros países.


As ideias que surgem da avaliação concreta das nossas realidades e potencialidades envolvem um sistema híbrido, composto por um motor a etanol associado a um elétrico também alimentado pelo primeiro a etanol, e as perspectivas e investimentos da célula de combustível, além das tecnologias para obtenção de hidrogênio a partir do etanol em desenvolvimento.


O modelo híbrido a etanol é capaz de atender a versatilidade exigida no Brasil e dispõe de tecnologia madura e sustentável, em vantagem ampla em relação aos elétricos a bateria, produzindo uma pegada de carbono menor do que a dos veículos somente elétricos, desde a fabricação até o descarte, o que seria de extrema relevância no atual momento em que a preocupação com o meio ambiente é uma das prioridades exigidas pelo mercado.


Ainda o modelo de célula a combustível associado a um processo de reforma a vapor de etanol, via uso de um catalisador para obtenção de hidrogênio, se mostra como a perspectiva de futuro no ambiente de pesquisa e desenvolvimento nacional. Sendo assim, o debate sobre a viabilidade e futuro desse modelo híbrido foi o tema central dos Seminários anteriores, aliando sustentabilidade, desenvolvimento e visão de futuro para o Brasil.


PRIMEIRO EVENTO – No dia 6 de outubro de 2021, sediado em Araraquara/SP, ocorreu o Primeiro Encontro “HÍBRIDO ETANOL: O MOTOR DO FUTURO – UMA AGENDA DE DESENVOLVIMENTO, EMPREGO E SUSTENTABILIDADE”. O evento foi dividido em três painéis: O Painel 1 apresentou o “Carro híbrido a etanol (desafios e oportunidades da academia ao mercado)”.


Debateram: Pablo Di Si (Presidente da Volkswagen), Dr. Alessandro Pansanato Rizzato (Diretor do IPT), Dr. Fabio Coral Fonseca (PEN).


A mediação do Painel 1 foi de Wagner Santana (Presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC).


O Painel 2 levou o tema “Carro híbrido: Um conceito sustentável – Carro elétrico é mesmo sustentável?”


Teve como mediador o prof. Rodrigo Fernando Costa, da UNESP.


Palestrantes: Rafael Chang (presidente da Toyota do Brasil), Dr. Pedro Teixeira Lacava (do Instituto Tecnológico de Aeronáutica-ITA), Wellington Messias Damasceno (Diretor Administrativo do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC).


E o Painel 3 teve o assunto: “O novo ciclo do etanol: Qual o caminho para o etanol se consolidar como principal fonte sustentável de energia para o futuro?”.


Teve mediação de Erick Silva (FEM-CUT/SP).


Palestrantes: Dr. Eduardo Leão de Sousa (UNICA), Dra. Laís Forti Thomaz (da Universidade Federal de Goiás-UFG), Edinho Silva (prefeito de Araraquara).


SEGUNDO EVENTO – O segundo evento “HÍBRIDO ETANOL: O MOTOR DO FUTURO” em 6 de abril, foi realizado virtualmente, com transmissão simultânea (mediação) realizada em São Carlos. A programação foi dividida em dois painéis.


No Painel 1, com o tema “Rotas tecnológicas para a mobilidade sustentável”, participou o professor Wanderlei Marinho da Silva; Pablo Di Si, da Volkswagen; e Roberto Braun, da Toyota, com mediação de Eduardo Leão, da UNICA. Houve apresentação do panorama do processo de eletrificação e de como inserir o Brasil nesse processo, bem como o desenvolvimento de uma nova cadeia de autopeças e como tornar essa tecnologia mais acessível.


O Painel 2 abordou “O marco legal para o motor do futuro”, contou com a presença de Margarete Gandini, do Ministério da Economia; Evandro Gussi, da UNICA; e Erick Silva (FEM-CUT/SP – FEM-CUT/SP). A mediação foi de Rodrigo Marques, do CEMPEQC. O debate destacou os pontos positivos das políticas públicas existentes e a necessidade de novas políticas que estimulem o desenvolvimento e nacionalização desta tecnologia, mantendo o protagonismo do etanol e popularizando o carro eletrificado brasileiro.


TERCEIRO EVENTO – Aconteceu no Parque Tecnológico de Sorocaba/SP, no dia 26 de maio de 2022, às 14h. O Evento teve dois painéis importantes, com os seguintes debates: “Qual o impacto das novas tecnologias para a cadeia de autopeças no Brasil?” e “Quais ações necessárias para o desenvolvimento e suprimento local?”


O Painel 1 trouxe o seguinte desafio: Qual impacto das novas tecnologias para a cadeia de autopeças, no Brasil?


Debatedores: Rafael Chang (Presidente da Toyota do Brasil), Evandro Maggio (Diretor de Compras, pesquisa e Desenvolvimento para América Latina e Caribe da Toyota). Mediação do Painel 1 foi de Rodrigues Marques (Do Instituto de Química da UNESP)


O Painel 2 desenvolveu o desafio: Quais ações necessárias para o desenvolvimento e o suprimento local?


Debatedores: Gábor Deak (Diretor de Tecnologias do Sindipeças), Leandro Soares (Presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba).


A mediação do Painel 2 foi do Wellington Damasceno (Diretor Administrativo do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC)


QUARTO EVENTO – Aconteceu no Parque Tecnológico de São José dos Campos, no Vale do Paraíba, dia 23 de junho de 2022, – Híbrido Etanol – O MOTOR DO FUTURO “O Novo Ciclo do Etanol” com dois painéis transmitidos ao vivo (das 10h às 12h30)


Painel 1 – levantou a questão“Quais Oportunidades de Desenvolvimento Sustentável?” Expositores: Ciro Possobom (COO – Chief Operating Officer da Volkswagen do Brasil), Prof. Valnice Boldrin (Pró-Reitora de Pós-Graduação da UNESP), Antonio de Padua Rodrigues (Diretor Técnico da ÚNICA. Mediação: Rodrigo Marques (CEMPEQC)


Painel 2 – Questionou“O que pode ser feito de hoje até 2030?” Expositores: Henrique Araújo (Head de Assuntos Governamentais da Volkswagen do Brasil), Ana Cristina Costa (Coordenadora de Estratégia Industrial e Desenvolvimento do BNDS), Prof. Dra. Emilia Villani (Pró-Reitora de Pós-Graduação do ITA). Mediação: Wellington Damasceno (Diretor Administrativo do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC).


Agora o evento percorrerá todo o território Brasileiro!


Acessem o site WWW.motordofuturo.com.br e saiba mais sobre o evento.


FEM-CUT/SP


Confira a participação dos metalúrgicos de São Carlos e Ibaté nos debates.