Sindicato no Enfrentamento da Covid-19


O Sindicato dos Metalúrgicos de São Carlos juntamente com o Coletivo de Saúde da entidade, tem realizado diversas ações para o enfrentamento da Covid-19, com o intuito de minimizar os impactos da pandemia.


No início da pandemia o Sindicato encaminhou ofício para todas as empresas da base Metalúrgica de São Carlos e Ibaté solicitando medidas emergenciais, para reforçar a importância dos protocolos sanitários.


SAIBA QUAIS FORAM AS REIVINDICAÇÕES:

  • Criação de um comitê de prevenção da covid-19 nas empresas.

  • Afastamento imediato para quarentena, sem prejuízos de qualquer trabalhadora/o que apresente sintomas respiratórios compatíveis com a doença.

  • Em caso de contaminação, a empresa providenciará as condições necessárias para que o trabalhador faça o teste laboratorial do covid-19 o quanto antes.

  • Implantação imediata do Home Office para os trabalhadores com 60 anos ou mais, gestantes, trabalhadores com doenças crônicas e deficiência imunológica;

  • Realização de entrevistas presenciais apenas se estritamente necessárias;

  • Ampliação das equipes de limpeza, com atenção maior para pontos de contaminação;

  • Aumento da oferta coletiva e individual de produtos que protegem da contaminação pelo vírus, como máscaras e álcool em gel;

  • Readequações de horários de descanso e refeição, a fim de estabelecer o menor número possível de trabalhadores nos refeitórios ao mesmo tempo;

Como Sindicato Cidadão, no pico da pandemia, em março deste ano, encaminhamos uma Carta Aberta para as empresas da base metalúrgica, Autoridades Municipais, Instituições Públicas e Privadas, em busca de uma AÇÃO unificada, para tentar combater os avanços. Na oportunidade foi chamado todos os seguimentos, com o objetivo de preservação das vidas, no qual foi sugerido uma PARALISAÇÃO GERAL em todos os setores de pelo menos 15 dias numa ação coordenada, tendo início no dia 29 de março, para forçar o isolamento social, porém a cidade optou por outras estratégias.


No mês de junho São Carlos teve recorde de mortes pela Covid-19, diante do descaso do governo federal, pudemos observar que houve um aumento de contaminados e mortos, por isso, o Sindicato solicitou junto as empresas informações Epidemiológicas para que pudéssemos ter uma leitura da situação, e assim reforçar a prevenção nos ambientes de trabalho. Outra ação foi o encaminhamento de ofícios para a Prefeitura Municipal de São Carlos, e Governo Estadual, com pedido para inclusão dos metalúrgicos no PNI (Programa Nacional de Imunização), no qual obtivemos retorno apenas do Governo Estadual, ressaltando os avanços no cronograma de vacinação, e desta forma não atendendo nossa reivindicação.


No panorama geral a entidade pode observar que nas grandes empresas onde o Sindicato tem representação como CSE (Comitê Sindical de Empresa), CIPA instituída, a capacidade de intervenção teve avanços. Já nas pequenas empresas, as informações são recebidas pela entidade basicamente por meio de denúncias, no qual o Sindicato busca auxílio junto aos órgãos competentes (Vigilância Epidemiológica, Ministério Público etc).


Infelizmente algumas categorias de trabalhadores por estarem na linha de frente são muito mais atingidas, no comparativo com os metalúrgicos. É possível constatar que o Brasil é um dos países, no qual boa parte das empresas, se aproveitam do DESMANTELAMENTO dos ORGÃOS DE CONTROLE e descumprem as NORMAS, apostando sempre na impunidade.


Em meio a tantas notícias tristes durante a pandemia, a boa notícia foi conseguirmos evidenciar a importância do SUS, e de Instituições ligadas a produção de pesquisa e conhecimento, no qual apresentaram estudos acelerando a oferta de vacinas para a imunização das pessoas, especialmente no Brasil.


Para finalizar, o Sindicato dos Metalúrgicos de São Carlos e Ibaté reforça para que as trabalhadoras e trabalhadores continuem com as medidas de prevenção, pedimos para que não haja relaxamento dos protocolos de segurança, uso de máscara, álcool em gel, sempre que possível evite aglomerações.


Em relação as empresas nossa orientação é que realizem uma campanha de conscientização dos protocolos de segurança e orientem os trabalhadores para se vacinarem, em contrapartida os trabalhadores devem ficar atentos para denunciar eventuais más condições de trabalho.


Esperamos que em breve com o fim da pandemia, todas e todos bem, possamos nos reunir novamente nas assembleias presenciais.