Sindicato participa do debate sobre motor do futuro


Os Metalúrgicos de São Carlos e Ibaté participaram na tarde de ontem (06), do debate “Híbrido etanol, o motor do futuro – desafios e oportunidades das rotas tecnológicas para a mobilidade sustentável”, no auditório da EPTV Central.


O encontro foi transmitido virtualmente pelo site motordofuturo.com.br, teve como objetivo discutir uma nova fonte de energia limpa para automóveis, e reuniu representantes dos trabalhadores, universidades e empresas.


O evento foi dividido em dois blocos, no qual no primeiro bloco, o Painel 1 abordou o tema, “Rotas tecnológicas para a mobilidade sustentável”, com o professor universitário Wanderlei Marinho da Silva; Pablo Di Si, da Volkswagen; e Roberto Braun, da Toyota, com mediação de Eduardo Leão, da Unica. Neste painel os convidados debateram a mobilidade elétrica no Brasil, a transição no setor automotivo, o papel da inovação no processo de eletrificação, os desafios, aspectos sociais e ambientais, as tecnologias que já existem no Brasil, dentre outros.


No segundo bloco, no Painel 2, o tema abordado foi “O marco legal para o motor do futuro”, com Margarete Gandini, do Ministério da Economia, Evandro Gussi, da Unica (União da Indústria de Cana-de-açúcar), e o Erick Silva, metalúrgico, presidente da FEM-CUT/SP. A mediação foi feita por Rodrigo Marques, do CEMPEQC (Centro Multidisciplinar de Pesquisa em Combustíveis, Biocombustíveis, Petróleo e Derivados). No painel 2 foi discutido mobilidade e logística sustentável, como as políticas públicas podem ajudar no processo, os benefícios da eletrificação, produção, como ser um projeto nacional, dentre outros.


O presidente do Sindicato dos Metalúrgicos, Vanderlei Strano, destacou a importância de reunir todos os setores envolvidos e interessados no desenvolvimento da nova tecnologia. “ Sabemos a importância em ter todos os setores aqui neste debate, pois para desenvolver um modelo nacional, precisamos de incentivos, de tecnologias, pesquisas, e o principal políticas públicas”, ressaltou Vanderlei.


O primeiro encontro foi realizado em Araraquara, em outubro do ano passado. A organização é da FEM-CUT (Federação Estadual dos Metalúrgicos da CUT), Unica e CEMPQC.