CAMPANHA SALARIAL: Com queda de 0,31%, INPC fecha em 8.83%

Foi divulgado pelo IBGE, na última sexta-feira (09/09), o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que teve o acumulado dos últimos 12 meses em 8,83%, que significa queda de 0,31% em agosto, o qual já havia apresentado deflação no mês anterior.


O INPC é o índice utilizado como base para o reajuste da categoria metalúrgica no Estado de São Paulo, que tem a data-base agora em setembro. Com a queda no índice mais uma vez quem vai sair perdendo é o trabalhador, que tem a cada dia seu poder de compra reduzido, e não condiz com a realidade dos números oficiais que mascaram a alta dos preços dos alimentos e outros itens essenciais.


O aumento nos preços de alimentos – com maior impacto no INPC – desacelerou de 1,31% em julho para 0,26% um mês depois. Os preços de produtos não alimentícios foram de queda de 1,21% em julho para recuo de 0,50% em agosto.


O presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Carlos e Ibaté, Vanderlei Strano, já havia alertado o trabalhador sobre a deflação. “O governo está freando a inflação, para diminuir o nosso salário. O custo de vida fica cada vez mais caro, os trabalhadores e as trabalhadoras estão com o poder de compra desvalorizado, por isso, precisamos nos unir. Vamos continuar a mobilização em toda a base, pois somente unidos chegaremos ao final de uma data-base com avanços e manutenção de direitos ", diz Vanderlei.


O INPC é calculado pelo IBGE desde 1979, se refere às famílias com rendimento monetário de um a cinco salários mínimos, sendo o chefe assalariado, e abrange dez regiões metropolitanas do país, além das cidades de Goiânia, Campo Grande, Rio Branco, São Luís, Aracaju e Brasília.


NEGOCIAÇÕES

Os Metalúrgicos da CUT seguirão na luta pela campanha salarial, com rodadas de negociações junto aos grupos patronais, buscando as Convenções Coletivas com reajuste salarial e manutenção das cláusulas sociais.


Já o Sindicato dos Metalúrgicos de São Carlos e Ibaté, além de participar das negociações junto a FEM-CUT/SP, também pautará as empresas por aumento real de salário e cláusulas sociais.


O Sindicato dos Metalúrgicos de São Carlos e Ibaté sempre atuante na luta pelo direito dos trabalhadores, alerta que é preciso manter a mobilização e pressionar os patrões, para que a categoria garanta avanços.