Já está disponível consulta ao site BC a dinheiro esquecido

Está disponível a partir de hoje (14/02), o novo site do Banco Central (BC) para consulta a dinheiro esquecido em bancos, mas a liberação dos valores começa apenas em 7 de março.


A previsão é que o dinheiro seja depositado via Pix, TED ou DOC em até 12 dias úteis.


Quem não informar a chave Pix para receber o dinheiro, mas indicar um banco onde quer que os valores sejam depositados, deverá ser contatado pela instituição financeira para informar os dados da transferência via TED ou DOC. É importante saber que o banco não pedirá senhas.


SAIBA como consultar se você tem dinheiro esquecido


Para fazer a consulta e saber se você tem ou não dinheiro esquecido nos bancos, basta acessar o 'valores a receber BCB', CLIQUE AQUI digite o número do seu CPF e sua data de nascimento. No caso de empresas, é preciso digitar o CNPJ e a data de abertura.


Imediatamente surge uma mensagem dizendo se você tem ou não dinheiro a receber.


Confira o passo a passo:


Acesse o site valoresareceber.bcb.gov.br


Informe seu CPF ou CNPJ


Se houver valores a receber, o sistema informará uma data para que retorne ao site e solicite o dinheiro disponível, a partir de 7 de março.


Ainda não será possível saber o valor que poderá ser resgatado. Os saques para quem recebe a mensagem positiva, porém, serão liberados de acordo com as datas de nascimentos dos clientes ou da criação das empresas.


Os clientes que nasceram antes de 1968, por exemplo, saberão o valor exato que poderá ser resgatado e solicitar as transferências entre os dias 7 e 11 de março.


Já os nascidos após 1983, a liberação ocorrerá entre 21 e 25 de março.


Quem perder a data agendada, tem de esperar a data de repescagem, que também é informada na hora da consulta.


ATENÇÃO: Fique atento à data e aos horários marcados


Após saber qual é a data agendada para receber, o cliente precisa conferir se foi para o período de 4h às 14h ou de 14h às 24h.


Isso é importante porque, se você esquecer ou perder a data e o período agendados, será necessário fazer a consulta novamente para confirmar a informação.


No caso de quem não voltar ao sistema no período definido, será preciso esperar a repescagem.

Quem tem dinheiro a receber precisa atualizar ou abrir uma conta no portal gov.br, com nível de segurança ouro ou prata, que, segundo o BC, são os mais seguros. Só assim o cliente poderá consultar quando receberá e pedir a transferência.


Se tiver dinheiro esquecido nos bancos, verifique seu cadastro Gov.br

Se você ainda não tiver login Gov.br, faça seu cadastro gratuito no site ou pelo app Gov.br (Google Play e App Store). Será exigido um cadastro Gov.br nível prata ou ouro para solicitar os recursos. Não será possível acessar o sistema com login Registrato


Confira aqui como criar ou atualizar sua conta no gov.br


Depois, volte ao site (valoresareceber.bcb.gov.br) na data e período informados e use seu login Gov.br para acessar o sistema, consultar e solicitar o resgate do saldo existente;


Se você perder sua data e período de resgate, venha aqui (valoresareceber.bcb.gov.br) no sábado da repescagem das 4h às 24h, de acordo com o calendário acima.


Se você também perder seu sábado de repescagem, acesse novamente o site (valoresareceber.bcb.gov.br) a partir de 28/03/2022 e use seu login Gov.br para acessar o sistema, consultar e solicitar o resgate do saldo existente.


Em 2 de maio, nova chance para quem consultou e não tem dinheiro a receber na primeira fase.


Um total de R$ 8 bilhões podem ser recuperados pelos clientes. Na primeira fase, serão devolvidos R$ 3,9 bilhões para 27,9 milhões de clientes – 26 milhões são pessoas físicas e 1,9 milhão empresas.


Se você consultou o site ‘valores a receber’ nessa primeira etapa e o sistema informou que você não tem dinheiro a receber, consulte novamente a partir do dia 2 de maio quando o BC libera o segundo lote de devoluções do dinheiro esquecido nos bancos.


Nesta primeira etapa, terão direito a reaver o dinheiro esquecido titulares de contas-correntes ou poupança encerradas com saldo disponível. Serão ainda devolvidas tarifas e parcelas ou obrigações relativas a operações de crédito cobradas indevidamente, desde que a devolução esteja prevista em termo de compromisso assinado pelo banco com o BC.


Além disso, cotas de capital e rateio de sobras líquidas de beneficiários e participantes de cooperativas de crédito e recursos não procurados relativos a grupos de consórcio encerrados também poderão ser reavidos.


CUT/Brasil


Crédito: Agência Brasil / Arte CUT