Prova de vida do INSS deixa de ser presencial

O INSS (Instituto Nacional de Seguridade Social), anunciou nesta quarta-feira (02/02) que os aposentados, pensionistas e outros titulares de benefícios pagos não terão que fazer mais a prova de vida presencialmente.


Conforme divulgado, a prova de vida passará a ser feita pelo próprio governo, que consultará bases de dados públicas e privadas para saber se a pessoa está viva. As buscas pelas informações se darão nas bases, tanto no governo federal, estadual e/ou municipal.


Para viabilizar a mudança, entre as bases de dados que serão consultadas estão registros de vacinação, consultas no SUS, comprovante de votações nas eleições, emissão de passaporte, carteira de identidade (RG) e carteira de motorista (CNH).


A nova regra entrará em vigor depois de publicada no Diário Oficial da União, o que deve ocorrer até amanhã (3).


De acordo com o Governo, os prazos para implementação das mudanças necessárias vão até o dia 31 de dezembro.



O que é prova de vida do INSS?


A prova de vida é um procedimento presencial obrigatório para o segurado do INSS comprovar que está vivo. Quem não fazia tinha o benefício suspenso. Durante a pandemia o INSS suspendeu várias vezes a obrigatoriedade para evitar contaminação dos segurados com a Covid-19.


Até agora, o segurado do INSS precisava comparecer presencialmente ao banco responsável pelo pagamento do benefício e para fazer a prova de vida por meio de biometria nos caixas eletrônicos ou no atendimento pessoal das agências, apresentando o cartão de débito e um documento com foto. Isso, agora, passa a ser opcional.


Agência Brasil